Eletropaulo ganha novos nome e identidade visual

0
5822

Por Camila Maia | De São Paulo

Passados pouco mais de seis meses da conclusão da aquisição de seu controle, a Eletropaulo ganhou um novo nome: Enel Distribuição São Paulo. A mudança da marca sela a consolidação do grupo italiano como líder no setor de distribuição de energia no Brasil.
“Estamos animados para expandir e diversificar ainda mais nossas operações na principal capital do país”, disse ontem Maurizio Bezzeccheri, presidente da Enel Americas, em entrevista coletiva concedida pela chefia da companhia italiana para comentar a estratégia.
As lojas da distribuidora, site, canais digitais, frota e uniformes serão alinhados à marca corporativa global da Enel. As contas de luz já davam indícios das mudanças, ao trocar o azul escuro da americana AES pelo rosa característico da marca da Enel.

Entre 2019 e 2021, a Enel São Paulo vai investir R$ 3,1 bilhões, com foco em melhoria da qualidade do serviço, instalação de equipamentos e sistemas de telecontrole para monitoramento e a gestão em tempo real das redes, aumentando a eficiência e a confiabilidade. Outra mudança será o novo aplicativo da distribuidora, que vai oferecer novas funções como renegociação de dívidas.

O montante a ser investido inclui a instalação de 1 milhão de medidores inteligentes na área de concessão da antiga Eletropaulo até 2021, 50% do total de todos os medidores inteligentes que a Enel pretende instalar na América do Sul no período, disse Bezzeccheri. O executivo defendeu as vantagens já conhecidas da tecnologia, mas não detalhou as regiões que serão alvo dos investimentos.

“Esperamos incluir São Paulo nas principais cidades brasileiras que lideram os medidores inteligentes”, disse Bezzeccheri. Segundo ele, os investimentos em medidores inteligentes dependem de melhoria na regulamentação e também de ajustes no processo de certificação dos equipamentos pelo Inmetro.

A Enel prevê crescimento de 5,5% na base de clientes da concessionária de São Paulo até 2021, para 7,6 milhões de clientes. Segundo Max Xavier, presidente da distribuidora, o crescimento projetado é uma “extrapolação” da base histórica de expansão dos consumidores da região metropolitana de São Paulo. “O crescimento deve ser concentrado nas classes residencial e comercial”, disse.

Para aumentar a confiabilidade da rede, a Enel São Paulo está investindo em novas subestações, assim como a melhoria das já existentes. No último mês, foram inauguradas sete novas subestações, com benefícios a 2 milhões de clientes, de acordo com Xavier. As obras mais significativas, por concentração de clientes, são as subestações de Vila Mariana, Alphaville e Batistine, “regiões densas com alta demanda de energia”, disse. Em 2019, a companhia trabalha para entregar a modernização e a expansão de outras três subestações, que vão beneficiar 400 mil usuários. Entre os destaque estão as subestações de Paula Souza e Taboão da Serra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here