FERRAMENTA DA NEOENERGIA SIMULA DE FORMA DETALHADA COMO SERÁ O FUTURO DO SETOR ELÉTRICO

0
448

Projeto inovador de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) avalia cenários de mercado, de tecnologia, de regulação e comportamento do consumidor 

Como será a distribuidora do futuro? Integrada, com redes inteligentes e foco na experiência do consumidor. Esse caminho está mapeado pela Neoenergia e será aprofundado com o projeto Smart Future, ferramenta computacional de simulação que analisa de maneira integrada os impactos econômicos e técnicos de novas tecnologias e marcos regulatórios de forma a criar um modelo sustentável de negócio diante das mudanças do setor elétrico. O projeto é uma iniciativa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e está na etapa inicial de pesquisa para identificar cenários internacionais de marcos regulatórios e comportamento do consumidor.

A solução desenvolvida pela Neoenergia permite a avaliação de cenários de mercado, de tecnologia e de regulação. Por exemplo: é possível simular o interesse dos clientes por sistemas solares de energia e a quantidade estimada de instalação de painéis fotovoltaicos, para então definir um roteiro de redes inteligentes para a empresa e avaliar quanto investimento será necessário e quais mudanças podem ser realizadas no ambiente regulatório para que isso aconteça, resultando em informações que podem subsidiar iniciativas em prol do setor junto aos órgãos reguladores. “Dessa forma, a distribuidora tem uma visão ampla do impacto desses fatores na atuação da empresa e pode tomar decisões a partir daí, com um planejamento mais assertivo considerando todas as possibilidades de futuro”, diz José Antônio Brito, gerente corporativo de Pesquisa e Desenvolvimento da Neoenergia.

Um dos diferenciais do “SmartF”, cujo nome significa Simulação e Modelagem do Ambiente Regulatório e Tecnológico Futuro, está na possibilidade de simular diversos cenários de longo prazo ao mesmo tempo e com rapidez nas previsões. “São simulações abrangentes e detalhadas, que levam em conta uma grande quantidade de dados e informações da empresa, que geram modelos de planejamento técnico e econômico assertivos e que podem ser utilizados de maneira ágil para que possamos avaliar diversos cenários com o benefício de analisar tudo de maneira integrada”, afirma Raphael Carvalhogerente do projeto na Neoenergia.

Áreas de interesse

A palavra-chave do projeto é integração e por isso há um amplo envolvimento de áreas da companhia, já que serão avaliados os efeitos de cenários que consideram o comportamento dos clientes, da distribuidora e do regulador. Na ferramenta, serão analisadas situações relacionadas a recursos energéticos distribuídos, como sistemas de armazenamento, veículos elétricos e geração solar. Toda modelagem de veículos será construída a partir dos resultados obtidos no projeto Corredor Verde da Neoenergia, a primeira eletrovia de mobilidade elétrica do Nordeste que vai ligar Salvador a Natal, passando por seis capitais da região. Outro aspecto vinculado aos clientes que será considerado são os investimentos e benefícios associados à digitalização do relacionamento com o consumidor com base nos dados do Conexão Digital.

Da mesma forma, a avaliação dos investimentos nas redes é outro tema relevante, pois trata de tecnologias avançadas de operação, medição e automação de redes inteligentes, além de alternativas aos investimentos tradicionais de rede, como baterias. No que se refere ao marco regulatório, diferentes incentivos e políticas energéticas serão avaliadas no intuito de propor alternativas regulatórias mais eficientes, inovadoras e sustentáveis para o setor.

O “SmartF” tem previsão de desenvolvimento de dois anos e será concluído até o final de 2022.

SOBRE A NEOENERGIA: companhia de capital aberto com ações (NEOE3) negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo. Parte do grupo espanhol Iberdrola, a empresa atua no Brasil desde 1997, sendo atualmente uma das líderes do setor elétrico do país. Presente em 18 estados, seus negócios estão divididos nas áreas de geração, transmissão, distribuição e comercialização. As suas distribuidoras, Coelba (BA), Celpe (PE), Cosern (RN) e Elektro (SP/MS), atendem a mais de 14 milhões de clientes, o equivalente a uma população superior a 34 milhões de pessoas.

A Neoenergia possui 4 GW em geração, sendo 88% de energia renovável, e está implementando mais 1 GW com a construção de novos parques eólicos. Em transmissão, são 679 km de linhas e cerca de 5.000 km em construção. Por meio do Instituto Neoenergia, fomenta o desenvolvimento sustentável a partir de ações socioambientais e, assim, contribui para a melhoria da qualidade de vida das comunidades onde a empresa atua, sobretudo, pessoas mais vulneráveis, visando sempre pelo desenvolvimento sustentável. A partir de janeiro de 2021, a Neoenergia passa a integrar a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3 – Brasil, Bolsa, Balcão – que reúne companhias que possuem as melhores práticas de governança e sustentabilidade corporativa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here