Os desafios da distribuição de energia em época de escassez hídrica, escreve Marcos Madureira

0
4762

Distribuidoras funcionam como o “caixa” do setor elétrico e precisam ser preservadas

Fonte.: poder360

Toda a população brasileira tem tomado conhecimento da situação crítica do fornecimento de água e energia elétrica, trazida pela escassez hídrica que passa o país, assim como também em outras partes do mundo.

Pior cenário hidrológico que o Brasil convive nos últimos 91 anos, o que torna a manutenção do fornecimento de energia elétrica um desafio para todos atores inseridos no setor elétrico, desde os formuladores de políticas públicas (Executivo e Legislativo), as organizações de planejamento, monitoramento e operação do sistema elétrico, agência reguladora, e os agentes de produção, transmissão e distribuição de energia.

Os agentes geradores buscam colocar o máximo de produção nas suas usinas, a transmissão, por sua vez, na implantação de instalações que possam permitir a maior integração da geração com a carga. São ações fundamentais para o dia-a dia do setor e, sem dúvida, muito mais estressante em períodos como este que estamos vivenciando.

E o papel das distribuidoras neste cenário? Elas não geram nem transmitem grandes blocos de energia. Mas é só através dos sistemas de distribuição que 99,8% das unidades consumidoras (residenciais, comerciais, industriais, agrícolas etc.) têm acesso a esta energia oferecida pelo sistema. Além disso, é através dessas distribuidoras que existe toda a relação de faturamento e arrecadação da energia. Ou seja, elas funcionam como o “caixa” do setor elétrico, mesmo para o Mercado Livre de Energia na parcela de uso do sistema elétrico.

Assim, todos os impactos que possam advir da relação entre os consumidores de energia e o setor elétrico passam necessariamente pelas distribuidoras, que tem suas receitas dadas pelo volume de energia que transita por suas redes, além de serem responsáveis por arrecadar as parcelas relativas ao custo da energia (geração), transporte (transmissão), bem como de encargos (subsídios e outros) e tributos (ICMS, Pis/Cofins, etc). É importante destacar que na fatura de energia elétrica, em média, apenas 19% fica com a distribuidora; os demais 81% são para as demais finalidades.

Em cenários de depressão de consumo, como os vividos sobre recente crise sanitária da covid-19 e agora nesta escassez hídrica, cabe às distribuidoras suportar a necessária redução do consumo de energia e manter íntegra a cadeia de pagamentos do setor (geração, transmissão, encargos e tributos), além, é claro, dos seus serviços e investimentos.

De forma adicional, neste ambiente de escassez hídrica, as distribuidoras suportam as diferenças entre os valores arrecadados da parcela de energia e o custo do preço da energia pelo uso de fontes mais caras (termelétricas), que são minimizados pelas bandeiras tarifarias.

Ou seja, nesse cenário cabe ao setor de distribuição ser o amortecedor do cenário crítico, inclusive promovendo campanhas e programas de incentivo à redução do consumo de energia, o que tem realizado de maneira intensa, como pode ser comprovado pela atual campanha de uso consciente em veiculação nacional.

Nós entendemos a nossa responsabilidade nesse desafio, e continuamos trabalhando diuturnamente para manter a qualidade e a confiabilidade dos serviços de eletricidade, trazendo conforto e desenvolvimento a toda população brasileira.

Dessa forma, garantimos que quando alguém usa um interruptor para ligar desde uma simples lâmpada ou acionar uma grande máquina, seja em uma indústria ou agricultura, terá acesso à energia que for disponibilizada pela geração e transporte de energia

Para que as distribuidoras de energia elétrica possam continuar realizando esse papel fundamental ao setor elétrico, é imprescindível que elas sejam preservadas dos impactos trazidos ao seu necessário equilíbrio econômico e financeiro.

Marcos Aurélio Madureira, é presidente da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee)

Link da Matéria.: https://bit.ly/3mEJWnT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here